Convênio odontológico

Convênio odontológico

O Convênio Odontológico está se tornando cada vez mais um item indispensável para a uma boa saúde bucal e geral.

Até pouco tempo, muitas pessoas não davam importância ao tratamento odontológico regular. Trocando em miúdos: a famosa visita anual a um dentista.

Mas, no fundo, qualquer um sabe que este comportamento displicente sai caro. O que antes era uma simples limpeza ou aplicação de flúor acaba se tornando um problema bem mais sério, que exige tratamento emergencial, mais longo e mais doloroso.

O Convênio Odontológico foi a saída encontrada pelo mercado de operadoras de Planos de Saúde, criando um produto específico para atender a esta demanda crescente da sociedade.

Convênio odontológico

Tratamento Odontológico custa caro?

Tratamento odontológico pode ser uma novidade, mas o fato é ir ao dentista sempre custou caro.

Não é à toa que o atendimento odontológico quase nunca está disponível na rede pública de saúde. E um bom atendimento particular sempre pesa muito no bolso!

Mas o convênio odontológico está aí para baratear esse custo.

Convênio odontológico

Convênio odontológico: como funciona

O Convênio Odontológico funciona praticamente do mesmo jeito que a maioria dos Planos de Saúde.

O beneficiário paga um valor mensal, estabelecido num contrato com alguma seguradora, e passa a ter acesso a uma série de cuidados e tratamentos dentários.

Os detalhes podem variar, mas o mecanismo geral é o mesmo.

De acordo com o alcance e abrangência do Convênio Odontológico contratado, o mais comum é que o cliente possa marcar consultas e procedimentos junto a profissionais de uma rede credenciada, formada por clínicas odontológicas e consultórios que têm parceria com o plano odontológico contratado.

Mas existem também alguns Convênios que oferecem a opção de poder escolher um dentista particular e no final pedir o reembolso.

Como nos Planos de Saúde, tudo vai depender da cobertura oferecida pelo plano escolhido.

Convênio odontológico

A cobertura também funciona igual?

A cobertura oferecida por um Convênio Odontológico segue os mesmos moldes dos Seguros de Saúde.

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) mantém um rol de procedimentos odontológicos mínimos.

Pelas regras da Agência, eles têm que estar incluídos nas coberturas de plano odontológico. E, para facilitar, dividem-se em três categorias: simples, de nível médio e complexos.

Procedimentos simples abrangem limpeza, manutenção geral e a prevenção da saúde bucal. Os principais são:

  • Consulta inicial a um dentista da rede, para avaliação.
  • Restaurações e tratamento de cáries.
  • Aplicação de flúor.
  • Remoção de tártaro.

Já os procedimentos de nível médio têm a ver com a correção de algum problema mais sério. Entre eles:

  • Curativos e suturas.
  • Colagem de fragmentos.
  • Tratamento e cirurgia da gengiva, a chamada periodontia.

Finalmente, os procedimentos complexos abrangem, sobretudo:

  • Próteses dentárias.
  • Implantes ósseos ou de dentes específicos.

Os Convênios Odontológicos são obrigados a cobrir estes procedimentos. Mas a ANS não obriga ninguém a cobrar os mesmos preços. Neste ponto, eles variam conforme a qualidade e a abrangência da cobertura.

Como contratar um Convênio Odontológico

As opções de contrato do Convênio Odontológico também são parecidas com as dos planos de Saúde em geral.

Você pode, antes de mais nada, contratar o serviço como pessoa física, e nesse caso só precisa procurar uma operadora ou corretor, pessoalmente ou via internet.

Aqui também não tem segredo. A receita é a velha e boa pesquisa, principalmente através da internet, aqui no nosso site, por exemplo, há vários artigos que preparamos para te ajudar com isso.

Só depois de recolher informações você vai se sentir seguro para finalmente optar pelo pacote que cobre suas necessidades e cabe no seu orçamento.

Mas também existem os planos empresariais, contratados por uma pessoa jurídica para oferecer a seus funcionários.

Aliás, você já verificou se sua empresa se inclui neste caso? Mesmo com um desconto (sempre pequeno e proporcional) no seu contracheque, quase sempre vale a pena.

Antes de contratar, é bom verificar alguns “detalhes”

Existem outros aspectos que você precisa verificar antes de contratar um Convênio Odontológico. Os mais importantes são a carência e a área de atendimento.

Algumas operadoras podem exigir uma carência de até 300 dias.

Esse é o tempo que será preciso aguardar para utilizar determinado procedimento do plano odontológico, porém, esse prazo pode ser diminuído ou até mesmo excluído conforme ofertas disponíveis.

Já a área de atendimento do plano vai depender do “pacote” que você contratou. Existem operadoras que oferecem cobertura limitada a uma região ou estado, mas na maioria das vezes ela é nacional.

Mais uma vez, a diferença pode estar condicionada ao preço da mensalidade.

Seja como for, evite as surpresas desagradáveis, na hora indesejada: confira todas as informações sobre cobertura, carência e área de atendimento ANTES de assinar o contrato.

Afinal, ter ou não ter um Convênio?

Para resolver este dilema, o melhor caminho é responder a duas perguntas simples, mas que só você conhece a resposta:

  • Quantas vezes você vai ao dentista por ano?
  • Quais os procedimentos que costuma utilizar com mais frequência?

Faça as contas, sempre considerando que imprevistos acontecem.

Com a ajuda de uma calculadora, certamente você vai poder encontrar o melhor caminho, que combinem economia e saúde bucal, num mesmo sorriso.

E para te ajudar no planejamento é possível fazer uma simulação online onde você conseguirá saber o preço do convênio que deseja e se cabe no seu orçamento: faça uma cotação clicando aqui.

Se você se interessou por Convênio odontológico, você vai gostar de ver: